Equipa

Simão Cardoso (Gondomar, 1987)

Mestre em Engenharia Química (FEUP, 2010), encontra-se actualmente a tirar o Doutoramento na mesma área na Universidade de Aveiro. Frequentou o curso preparatório de Música Litúrgica na EDML do Porto entre 2006 e 2010.
Desde 1998 que integra grupos corais litúrgicos, tendo assumido em 2006 a direcção do Grupo Coral de Jovim. Formou em 2010, com mais sete elementos, o Oitava Ensemble, grupo vocal dedicado exclusivamente à música sacra portuguesa. No âmbito destas actividades, tem participado na animação da liturgia e em diversoso concertos. Paralelamente, tem sido convidado, desde 2010, para integrar o Coro da Casa da Música como reforço, em alguns concertos.

Nuno Costa (Cerva, 1986)

Faz os seus estudos de Composição em Portugal, Bélgica e Itália tendo obtido os Diplomas da Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo do Porto e do Conservatório Real de Antuérpia. Na Academia Nacional de Santa Cecília, em Roma, frequenta o Curso de Aperfeiçoamento em Composição.
Tem obras escritas para instrumento solo, coro, ensemble e orquestra. Em Portugal, os seus trabalhos têm sido apresentados em diversas igrejas, e também em vários auditórios, com destaque para o Coliseu do Porto, tendo igualmente trabalhos apresentados no deSingel, bem como no Auditorium Parco della Musica.

Florinda Carneiro (Mairos, Chaves)

Possui o Curso Geral de Composição do Conservatório de Música do Porto, o Curso de Estudos Superiores Especializados em Educação Musical da Universidade do Minho e o Mestrado em Ciências Musicais pela Universidade de Coimbra. É docente de Educação Musical do quadro do Agrupamento de Escolas Dr. António Granjo, sendo, actualmente, coordenadora de estabelecimento da Escola EB2,3 Dr. Francisco G. Carneiro, em Chaves. É membro da Direcção do Grupo Cultural Aquæ Flaviæ e do Conselho Fiscal da Associação Chaves Viva, deste na qualidade de presidente da Direcção do Coral de Chaves, grupo no qual é também coralista desde 1992. Orienta o grupo de cantares Canto Alegre.

Fernando Lapa (Vila Real, 1950)

Fez os seus estudos musicais no Conservatório de Música do Porto, onde concluíu o Curso Superior de Composição, na classe do prof. Cândido Lima. É autor de uma obra considerável, tendo estreado até ao presente mais de duas centenas de peças, de todos os géneros. Muitas obras suas têm sido repetidamente executadas, em muitas centenas de concertos, tanto no país como no estrangeiro, sendo algumas delas transmitidas pela RDP, RTP e outras estações de rádio e televisão, nacionais e estrangeiras. Está representado em numerosas gravações em CD e tem partituras editadas em Portugal e na Alemanha. Dirigiu o Coro Académico da Universidade do Minho durante 16 anos. Assinou cerca de três centenas de textos de crítica musical no jornal “Público”, entre 1994 e 2006. Tem leccionado em diversas escolas de todos os níveis de ensino, nomeadamente na Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo. É professor no Conservatório de Música do Porto desde 1984.

Eugénio Amorim (S. João da Madeira, 1963)

Iniciou os seus estudos musicais em S. João da Madeira, continuando, depois, na Academia de Música de Sta. Maria da Feira e veio a concluir no Conservatório de Música do Porto os Cursos Superiores de Piano e Composição.
De 1988 a 1993 frequentou a Escola Superior de Música de Würzburg, tendo aí obtido o Bacharelato em Direcção de Orquestra e a Licenciatura em Música Sacra.
De 1994 a 2010 foi Maestro do Coro da Sé Catedral do Porto. Nesse contexto, salienta-se o empenhamento na divulgação de obras de compositores portugueses, inserindo-se neste propósito as duas digressões realizadas pelo Coro na Inglaterra e na Alemanha, assim como a gravação de um CD com música vocal portuguesa da renascença e um outro com trabalhos de composição sobre melodias populares de Natal cantadas em Portugal, num projecto conjunto de 4 compositores, de que fazia parte.
Dirigiu, em concerto, a Orquestra Clássica do Porto, a Orquestra do Norte, a Orquestra “Brandon Hill” de Bristol, a Orquestra Sine Nomine, a Orquestra Sinfónica de Zlin e o Ensemble de Música Antiga Musica Florea de Praga.
Lecciona actualmente no curso de Composição da Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo do Instituto Politécnico do Porto.
É autor de obras como “Te Deum”, para Tenor solo, Coro misto, Coro de crianças e Órgão (1998), “Joie” para Órgão solo (2000), “Nós vos louvamos (Te Deum em português)” para Soprano e Tenor solos, Metais e Coro (2001). Em Julho de 2001 foi executada “Stabat Mater” para Coro, Percussão e Órgão pelo Norddeutscher Figuralchor, em concerto integrado na programação do Porto 2001 Capital Europeia da Cultura. Em Dezembro do mesmo ano foi apresentado “Um Natal Português”, um composição colectiva, composta em conjunto com Carlos Azevedo, Fernando Lapa e Fernando Valente, para Soprano solo, Coro e Orquestra, sobre melodias populares de Natal portuguesas. Em Julho de 2002 foi estreada no âmbito do Festival Internacional de Música da Póvoa de Varzim uma obra sua para Orquestra, “Danças com Mar”, entretanto já editada em CD. Em 2003 foi estreada no Festival de Órgão de Mafra “E-motion” para dois Órgãos históricos e de 2004 ressaltaria a obra “4:3 – Dopo un film di” para 2 Pianos a 4 mãos e 3 solistas para o Festival Black & White em 2005, ou ainda “Repercussio” para Marimba, Gong e Órgão. Em 2006, foi apresentada no Festival Internacional de Órgão de Lisboa “Actions de Grâces” para Soprano, Flauta e Órgão; neste mesmo ano foram apresentadas “Hommage” para piano solo, “Laudate Pueri”, pelo Coro de Crianças do Círculo Portuense de Ópera e um conjunto de obras para a liturgia, apresentadas pelo Ensemble Vocal Canto Nono, no âmbito da missa de comemoração dos 250 anos da Região Demarcada do Vinho do Porto, com transmissão televisiva da RTP.
A sua actividade extende-se ainda à investigação no âmbito da Música Portuguesa, sendo neste contexto membro do CITAR – Centro de Investigação em Ciências e Tecnologias das Artes da Universidade Católica Portuguesa. Na mesma instituição encontra-se a preparar tese de Doutoramento em Musicologia histórica.

Pedro de Miranda  (Ançã, 1964)

Obteve a Licenciatura em História da Arte em Coimbra, em 1986, e fez o Curso Completo de Flauta transversal em 1987 tendo frequentado, até 1989, o então bacharelato da Escola Superior de Música de Lisboa.
Leccionou Flauta, História da Música e música de conjunto entre 1986 e 1989 no Conservatório de Música de Coimbra.
Fez o Curso Nacional de Música Sacra, Direcção Coral, em 1995, e a Licenciatura em Teologia em 1996.
Ordenado sacerdote para a Diocese de Coimbra em 1995, fez Mestrado em Ciências Musicais na Faculdade de Letras de Coimbra com tese subordinada ao tema “D. Francisco de Stª Maria, Cantor Mor de Santa Cruz de Coimbra”, em 2001, sendo também Licenciado em Direito Canónico na Universidade Pontifícia de Salamanca em 2012.
Tem uma actividade contínua na direcção artística do Grupo Vocal Ançãble, desde 1989, com numerosas estreias modernas de música antiga portuguesa de entre os séc. XVI ao XVIII/XIX, e é professor na Escola Diocesana de Música Sacra de Coimbra desde 1991.
Tem composto pequenas peças para a liturgia em português e em latim e é, actualmente, vigário geral da diocese de Coimbra, juiz do tribunal diocesano e doutorando em Direito Canónico.

José Manuel Pinheiro (Matosinhos)

Concluiu no Conservatório Nacional o Curso Superior de Composição, frequentou no Conservatório de Música do Porto o Curso Superior de Piano e parte do Curso Geral de Violino e Canto. Obteve o grau de licenciatura em Música na Universidade de Aveiro e concluiu com distinção o mestrado em Choral Education (Music Education) na Roehampton University – Londres. Na área da música e da pedagogia frequentou vários cursos em Espanha, Inglaterra, Alemanha, Holanda e Áustria.
A sua actividade dominante incide sobre a pedagogia, educação e animação cultural – musical.
Lecciona no Conservatório de Música do Porto as disciplinas de Organologia e de Acústica Musical e no Curso de Música Silva Monteiro a disciplina de Classes de Conjunto.
Colabora regularmente com o Serviço Educativo da Orquestra do Norte, dirigindo e apresentado vários programas pedagógicos.
Conquistou com o “ENSEMBLE VOCAL PRO MUSICA”, projeto que criou em 1991 e de que é diretor artístico desde a sua fundação, vários prémios em concursos internacionais, sendo de destacar o 1º Prémio – Diploma de Ouro na Categoria de Música Sacra, bem como o Grande Prémio do Concurso de Veneza, em Setembro de 2007.

José Carlos Lopes de Miranda (Coimbra, 1961)

Licenciou-se em Filosofia e Humanidades Clássicas na Faculdade de Filosofia de Braga, onde integrou a Cameratta Bracarense sob a direcção do Pe Manuel Simões SJ. Concluiu os Cursos Gerais de Canto e Composição no Conservatório Regional das Caldas Saúde, nas classes de M. Ana Fleming e Domingos Peixoto e o Curso Superior do Conservatório Nacional, na classe de Oliveira Lopes. Licenciou-se ainda em Teologia na Universidade Gregoriana, Roma, e concluiu em 1996 o Mestrado em Ciências Patrísticas pelo Instituto Patrístico Augustinianumde Roma, onde exerceu paralelamente uma regular actividade concertística e discográfica, quer como barítono solista ou director de coro quer como membro da Capela Musical Pontifícia (Sistina, 90 – 96). Foi Assistente do Centro de Estudos Clássicos da Faculdade de Filosofia de Braga, e Bolseiro da FCT no Instituto Patrístico Augustinianum, onde concluiu o Doutoramento. Em Portugal, leccionou Canto (classe de conjunto) no Conservatório Regional das Caldas da Saúde. Desde 2004, é docente da Faculdade de Ciências Sociais (Universidade Católica), em Braga. Integrou desde a primeira hora o Grupo Vocal Ançã-ble, aCapella Bracarensis e o Coro de Câmara Sotto Voce.

Igor C. Silva (Porto, 1989)

Licenciou-se em composição na Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo (ESMAE) em 2011. Em 2013 concluiu o Mestrado em Composição e Teoria Musical (ESMAE), tendo trabalhado com professores como Fredrick Gifford, Fernado Lapa, Dimitris Andrikopoulos, Eugénio Amorim e Carlos Guedes. Frequentou também seminários com Magnus Lindberg, Jonathan Harvey, Pauline Oliveros, Kaija Saariaho, Wolfgang Mitterer, Betty Olivero, Marko Ciciliani, Bruce Pennycook, Pascal Dusapin entre outros.
Em Abril de 2009 viu a sua obra “Sombra de uma Memória”, para ensemble, apresentada num workshop com o Remix Ensemble, dirigida por Peter Rundel.
“Chouette!”, para flauta, violoncelo e piano, foi estreada em Setembro de 2009 em Austin (EUA). Foi também apresentada em Outubro de 2009 na Casa da Música, no “Future Places Festival”.
Em Maio de 2010 participou no projecto europeu “Sound Art In City Spaces”, onde realizou uma instalação/performance no Porto, juntamente com vários artistas estrangeiros.
Ganhou o 1º Prémio do “2º Concurso de Composição Casa da Música/ESMAE”, com “Terminus”, para Viola e electrónica em tempo real, estreada em Abril de 2010 na Casa da Música por Trevor McTait, violetista do Remix Ensemble. Ganhou também o 1º Prémio do “5º Concurso Internacional de Composição da Póvoa de Varzim” com “FlipBook”, para quinteto e electrónica, estreada em Julho de 2010 pelo Sond’Ar-te Electric Ensemble, dirigido por Pedro Amaral, no “Festival Internacional da Póvoa de Varzim”.
Trabalha regularmente com solistas, grupos de Jazz e ensembles, dedicando uma parte da sua actividade musical e composicional à improvisação e performance interactiva com electrónica e meios multimédia, enquanto compositor e performer.
Em Maio de 2011 foi seleccionado para o “1º Fórum Internacional de Jovens Compositores do Sond’Ar-te Electric Ensemble” em Lisboa, com a obra “FlipBook”, dirigida por Pedro Neves.
Em 2012 foi o Jovem Compositor em Residência na Casa da Música, tendo recebido várias encomendas, trabalhando com grupos como a Orquestra Sinfónica do Porto, Remix Ensemble entre outros.
Em 2014 estreou a obra “Massive#”, para voz feminina, orquestra e electrónica, interpretada pela Orquestra Gulbenkian, dirigida pelo maestro e compositor Magnus Lindberg.