Tempo do Advento

Com mais um número Libellus, este dedicado ao Advento, é a nossa visitação aos quatro tempos “fortes” que vemos agora, pela primeira vez, concretizada. Como sempre, desejamos que possam sentir-se envolvidos por mais esta edição de repertório diversificado, pautado por horizontes próprios, que aflora o passado, e que procura deixar trilhos para o futuro que, agora no presente, procuramos aprimorar e galgar. Que seja este Presente motivo de exposição viva das nossas leituras e que seja também referência plural para ajudar outros a partir deste possível pontinho. É o espírito do Advento que nos impele a apresentar mais este número que, certamente, contribuirá com mais um passo coeso na exposição da Música Sacra Portuguesa e que, contamos, puxe por todos os intervenientes a isso dispostos!

Libellus 4

Advento da Misericórdia é a reflexão concisa que vem do já habitual pulso assertivo de Rui Osório, Jornalista e Pároco da Foz do Douro, no Porto.
Com este texto completamos a nova edição Libellus e esperamos que esta seja uma mais valia enquanto ferramenta de trabalho.

Conhecer as partituras

Partituras Incluídas

  • Ave Maria
    Fernando C. Lapa

  • Rorate cæli
    Eugénio Amorim

  • Cântico da manhã
    Manuel de Faria

  • Ave Maria
    Joaquim dos Santos

  • Brotará um rebento
    Fernando Valente

  • Florescerá um ramo
    Eugénio Amorim

  • Super te Jerusalem
    Pedro de Miranda

  • Derramai-vos, ó céus
    Fernando C. Lapa

  • Desça o orvalho
    Nuno Costa

  • Eis a escrava do Senhor
    Carlos da Silva / João Santos

  • O Oriens
    Bruno Ferreira

  • Nunc dimitis
    Joaquim dos Santos

Libellus Usualis

"O Advento é um tempo favorável de saudável esperança e de gozosa misericórdia. Só não lhe aprecia o sabor espiritual quem cedeu à banalização do sagrado.
O Natal do Menino-Deus projeta o infinito no finito, a eternidade no tempo, o absoluto no relativo e o divino no humano. Deus fez-se homem para que o homem chegue a partilhar a vida de Deus.
O imanente sonha com o transcendente porque Deus nasceu na ternura de uma criança, que, um dia, já crescida, revelará a excelência de Deus na crucificação. Nunca Deus foi tão grandioso e tão belo como quando nasceu criança e morreu numa fecunda oblação de amor apaixonado, porta aberta
para o triunfo glorioso da vida sobre a morte."

Tempo do Advento

Depósito Legal 381896/15
ISSN 2183-1874
72 páginas
Novembro de 2015

-
+

18 € SUBSCRIÇÃO (Libellus 7 & 8) Anual 2017 - 2 EDIÇÕES